Nós estamos no comando da nossa saúde!

É necessário apercebermo-nos de qual o papel que assumimos na criação da nossa saúde e da perceção da realidade que nos rodeia.

Ao longo da minha prática profissional e daquilo que vou experienciando também como praticante, tenho vindo a aperceber-me de que nós temos mais influência na nossa saúde do que pensamos.

Eu podia começar por enumerar os diferentes benefícios que uma prática física regular tem para o corpo e para a mente. O quanto é que uma boa alimentação pode influenciar o nosso ambiente interno, embora este último assunto eu prefira deixar para os nutricionistas. Mas penso que desta vez gostava de explorar uma vertente que nos poderá fazer pensar um pouco mais.

Antes de mais, é necessário apercebermo-nos de qual o papel que nós assumimos na criação da nossa saúde e da perceção da realidade que nos rodeia. Tomarmos consciência de que temos nas nossas mãos o poder para mudar hábitos e rotinas que ditam a maneira como nos sentimos.

Somos submetidos a uma grande pressão durante o nosso quotidiano. E juntamente com alguma propaganda e comunicação social enviesada, somos levados a acreditar que o nosso corpo é uma peça vulnerável e suscetível a todos os fenómenos externos e que não consegue lidar com os mesmos de uma forma autossustentável. Esta linha de pensamento faz com que pareça que existe sempre uma razão externa para certos desconfortos, dores ou até mesmo alguns infortúnios que possam acontecer. Culpar as circunstâncias não é a melhor maneira de assumir o comando deste grande avião que é a nossa vida.

Uma repetição destes padrões de pensamento leva a que nos desconectemos totalmente do nosso corpo e da nossa mente. Como se vivêssemos na 3ª pessoa e apenas víssemos os fenómenos a acontecer sem nos perguntarmos porquê. Podemos melhorar a nossa saúde de uma forma muito significativa apenas por estarmos atentos às mensagens que o nosso corpo nos envia e a razão por detrás das mesmas!

Problemas como adoecermos ou passarmos por alguma situação pessoal que nos cause mais desconforto ou que nos desafie, é algo que poderá ser inevitável acontecer. Aceitar algumas fraquezas e vulnerabilidades também faz parte do processo. Aquilo que o exercício físico nos ajuda  é a estarmos presentes, despertos e conscientes. Cientes de que podemos influenciar a nossa vida, o nosso bem-estar, a partir de uma postura totalmente proativa que implemente hábitos saudáveis que nutram o corpo e acima de tudo a mente.

Para combater este problema global, há que criar as condições no nosso interior para que os fenómenos externos inevitáveis não influenciem tanto os fenómenos internos que em nós habitam. O nosso corpo é como a nossa casa. Quando não estamos presentes, e deixamos janelas e portas abertas, sujeitamo-nos a que entre aquilo que não nos acrescenta. Se estivermos presentes em casa, abrimos portas apenas àquilo que nos nutre, construímos e plantamos o ambiente que nós faz melhor! Cuidemos da nossa casa!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Não fiques por aqui

Explora mais

Tensão requer atenção!

Eu sou apologista de que nenhuma dor do nosso corpo aparece por acaso. Existe sempre uma razão, uma fonte de stress, por detrás de cada sintoma físico que possamos sentir.